Diversidade marca Loucos por Vinil em Embu das Artes

RockMuito rock ‘n’ roll fez a alegria das cerca de 2 mil pessoas que passaram pelo Centro Cultural Mestre Assis do Embu, nos três dias de Loucos por Vinil Fair, em Embu das Artes. Apesar da temática escolhida para essa edição, a diversidade de gêneros musicais e, também de público, impressionou organizadores e visitantes.

Para o idealizador do evento, Paulo Dud, a 14ª edição do Loucos por Vinil cumpriu seu objetivo de reunir diversas gerações e difundir a cultura do discos de vinil: “Nós estamos na 14ª edição e o importante desse ano é que estamos mais organizados. Como sempre, estamos aqui fazendo a cultura do vinil, recebendo colecionadores e também jovens que ainda não conheciam o vinil e, a partir de agora, passam a admirar e até compram discos de Chico Buarque, Elias Regina e outras influências musicais, muitas vezes bandas e artistas que seus pais ouviam”.

Além da exposição, venda e troca dos famosos long plays, o evento foi recheado de atrações que representaram, muito bem, as lendas do rock. A programação contou com shows de  Felippe Dias Trio (tributo a Jimi Hendrix),  Jubarte, Pastor Rottweiler  (trabalho autoral), Adaaga (Classic Rock), Hellven (Death Metal), Os Subterrâneos (trabalho autoral), com destaque para Leandrix Experience, que levou o público ao delírio apresentando um tributo a Jimi Hendrix,  com o som psicodélico de sua guitarra e, também,  homenageou Janis Joplin com a participação especial do  cantor Beto Samurai, e para a banda AJNA, com a cantora Tibet, que encerrou o evento em grande estilo, ao som de Thrash Metal moderno, ritmo com número crescente  de fãs, mostrando que lugar de mulher também é no Rock.

O casal Karen Salerno e Samara de Oliveira visitou o evento pela segunda vez e, nessa edição, levou para casa um compacto dos Rolling Stones: “Aqui a variedade de discos é boa, encontramos os clássicos em um só lugar, com preço acessível”, garantiu a publicitária Samara de Oliveira.

De Santo André, o colecionador Evandro Antunes dos Santos, na companhia da esposa Cristiane Maria dos Santos, aumentou sua coleção que já conta com mais de 1 mil discos: “A variedade é boa mas, conforme aumenta a coleção, vai ficando mais difícil encontrar algo. Mesmo assim, estamos levando discos do Motorhead, Ramones e Blue Oyster Road”.

O Loucos por Vinil é uma opção de lazer mesmo para os mais jovens, os noivos Marcelo Salinas e Tânia Azevedo foram ao evento na companhia das pequenas Marjorie (8) e Dhara (8), e levaram 12 discos, entre rock e jazz, para casa: “Nós costumamos visitar outros pontos de referência para os amantes do vinil, como a Praça Benedito Calixto e o bairro do Ipiranga, as meninas já estão acostumadas e também gostam dos discos. A iniciativa do Loucos por Vinil é muito boa, até porque é um evento que não costuma acontecer por esses lados”.

Apesar do evento já estar na sua 14ª edição, foi uma grata novidade para o jovem Henrique, de Itapecerica da Serra, que ao lado dos pais, Anilton e Amanda, comemorou seu “mêsversário” de 11 meses no Loucos por Vinil Fair: “Viemos conhecer o evento. Com certeza ficaremos para os shows”, garantiu o casal.

Novidade também para Edu (vocal e guitarra), Ademar (bateria), Nelson (guitarra solo) e Paolo (baixo) da banda de death metal, Hellvem, que apesar dos seus 10 anos de estrada, pela primeira vez se apresentou no Loucos por Vinil.

Ao longo de três dias, o evento ainda contou com exibição de filmes e documentários, workshops, mix áudio com dj’s e a exposição “A arte e nossas lendas musicais”, com mais de 30 artistas plásticos renomados da cidade usando as telas como base para expressar diversas técnicas de pintura. O Loucos por Vinil Fair é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura e, este ano, contou com patrocínio do Sindicato dos Químicos.

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *